06 outubro, 2012

Two is Better Than One - Capítulo 02

Oi gente!
Tudo bem com vocês? Espero que sim!
Já trouxe o segundo capítulo da nossa webnovela, Two is Better Than One. ^-^ Obrigada pelos comments no outro post, viu? Amei! É ótimo saber a opinião de vocês! :)
Bem, sem mais comentários, clica em leia mais e confere o capítulo de hoje!



 Capítulo 02 – Rotina.

      Já me aproximando do portão de entrada, meu celular deu alerta de mensagens, e eu, na maior concentração nele, acabei me esbarrando feio com a patricinha da Lindsey, que me esnobou, como sempre, irritada.
- Só podia ser você mesma, né, nerd? – esnobou, com um olhar firme e raivoso. – Ô gentinha sem educação! – saiu falando sozinha que nem doida, com uma postura como se achasse uma modelo em elegância. Ela me esnobou e eu quem sou a mal educada. Aff.
        Comentários vindo dela já não me atingem tanto quanto antigamente, mas não posso dizer o mesmo quando à Daniella. Desde o início desse ano, a Lindsey vive amedrontando-a por tudo que é assunto. A amiguinha dela, Lola, espalhou para a escola inteira que a Dani havia dado em cima do namorado dela, o Thomas, e desde então, ela se viu obrigada à mexer com ela todos os dias.
        E não é que a patricinha já havia começado a chateação diária com a Dani? Me aproximei da minha amiga, ainda enxugando as lágrimas por causa da Lindsey. É tudo culpa dela, tudo, mesmo! Não sei como ainda tem um monte de meninos que vivem competindo entre si por ela. Perda de tempo total.
        Logo o sinal tocou, e fomos correndo para a aula de Português. Inicialmente, pareceu que a sexta-feira sempre seria um dia legal e divertido, já que eu iria visitar o Liam, como sempre faço. Mas, não sei por que, é justo nesse mesmo dia que temos redação na aula da professora Charlotte. Tudo bem que ela é flexível nas redações, nos deixando escolher o gênero da redação, mas certamente, depois de quase uma noite toda sem dormir, e ainda por cima o esbarrão com a Lindsey me deixaram irritada e, consequentemente, sem ideias. De qualquer forma, fiz o que pude.
        As aulas se passaram mais devagar, ou pelo ou menos eu tive essa impressão. Professor Carlos – que é meu professor desde o 7º ano – fazia uma prova oral sobre a Revolução Francesa. Isso é um assunto estudado no 8º ano, se não me engano, mas ele fazia questão de testar o conhecimento dos alunos, assim, de surpresa.
        Em outra aula, nos surpreendemos bastante com professora Viviane, que dava uma aula prática sobre experimentos químicos. Dessa aula eu gostei de verdade! Além de educativa, foi muito engraçada. Em uma das experiências, o Tadeu, palhaço da turma, resolveu interromper a experiência, e acabou todo molhado e com um cheirinho de alho, sei lá por quê. A turma riu muito nessa hora!
        Ainda teve a aula de Matemática, com uma grande quantidade de atividade de sala com a qual eu não estou acostumada. O pior de tudo, é que o Professor Jeff – abreviação do nome Jefferson, colocado pelos alunos desde o 6º ano – faz questão de que a atividade seja entrega prontinha, sem uma única questão em branco, logo na aula seguinte. Eu acabaria por passar o fim de semana todo trancada no quarto, isolada do mundo e de todos, obrigada à passar noites em claro, só para terminar aquela tarefa.
“Ninguém merece” suspirei, logo me voltando à atividade.
Assim que bateu o sinal para o fim da aula, todos saíram correndo alegres para casa.
“Finalmente” pensava, enquanto guardava meu material, quando fui surpreendida pela Dani, agora, sorridente.
- Vai ao LookShop hoje à tarde? Soube que eles renovaram o estoque de calçados, e a Fernanda me disse que os novos são muito lindos!
- Não vai dar. Hoje é Sexta,... – fui interrompida.
- ...dia de ir visitar o Liam, né? – lembrou.
- Pois é. Acredita que hoje de manhã, eu não lembrava desse compromisso?
- Sério? Com certeza alguma coisa aconteceu para te deixar distraída e irritada, a ponto de esquecer a visita...
- Na verdade, uma noite mal dormida, só isso. Você sabe que eu fico assim, distraída, quando não durmo direito.
- E como sei – sorria. – Ainda lembro da vez em que você não pode dormir direito, e na minha festa de aniversário, você começou a cantar uma cantiga de ninar, justo na hora do parabéns, e cantando alto, mesmo.
- Esquece isso, Dani! Que mico! – tapava os olhos, meio constrangida. – A gente tinha apenas 9 anos. Eu era meio distraída naquela época, também...
- Não tem desculpa.
        Saímos rindo daquele mico na maior alegria, enquanto que os alunos nos olhavam, sem entender nada.



E então, gostaram? 

Beijos e fiquem com Deus.

6 comentários:

  1. Ai você só pode ser uma escritora!
    kawaiicolorsbyjamilly.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pretendo ser uma ^-^ Mas muito obrigada pela visita, Jamilly!

      Excluir
  2. Parabens Otima escrita sua em Sammy .
    Adorei a parte do aniversario kkkkk To morrendo de rir.
    Capitulo Tres Lhe espera aki ein?

    Bjs Flor

    ResponderExcluir
  3. Que bom que gostaram, gente! Realmente, obrigada pelos comments! ^-^

    ResponderExcluir