08 janeiro, 2013

Texto: E Quanto aos Animais?

Oie gente! 
Uns dias atrás, eu fiz a resenha do Minha Vida Fora de Série, da Paula Pimenta. Não lembro bem quando, mas, nesse clima de proteção aos animais, que o livro tem, eu acabei criando um pequeno texto sobre o tema. Pode ser entendido como um desabafo também, mas ainda assim vale conferir. Ah, em outro post irei trazer a Parte 2 da Prévia da Websérie, hein? Fiquem atentos!
Confere o texto em leia mais!


E Quanto aos Animais?


Como está o mundo hoje em dia? Onde nós vamos parar?
Bem, a maioria deve achar esse questionamento meio ultrapassado, sem sentindo, ou até mesmo uma piada, mas o mundo realmente está um caos só, e as pessoas não ajudam em nada com suas atitudes cada vez piores.
Como se machucar pessoas e provocar mortes já não bastasse, até os animais agora viraram vítimas frequentes de coisas bem piores. Tem gente que acha que eles não sentem dor, que merecem sofrer ou simplesmente que são um brinquedo para se fazer o que quiser, que nem os de pelúcia.
Estão redondamente enganados.
Um animal sente e pensa, da mesma forma que um ser humano. Ele só não tem capacidade de maltratar uma pessoa, simplesmente porque isso não existe para ele.
Pessoas chegam assustadas falando que Ah, um cachorro me mordeu, ele é mau ou Aquele cachorro estragou os meus móveis e a culpa toda é do pobre animal. Não é justo. O ser humano tem lá sua parcela de culpa, ainda maior talvez, e o animal apenas reproduz o que ele aprendeu.
Eles são que nem crianças. Se você educá-las com carinho e do jeito certo, serão bons adultos no futuro e certamente darão o mesmo ensinamento para seus futuros filhos. Porém, se você ensina coisas erradas e maltrata elas, certamente vão crescer e se tornar adultos ruins. É basicamente isso que acontece com os animais. Da mesma forma que você os cria quando filhotes, eles crescem naquela rotina, entre o certo e o errado. A única diferença é que, um ser humano ainda pode ser reensinado depois de adulto, mas um animal, muitas vezes, não tem a mesma compreensão rápida.
Ao contrário do ser humano, que por muitas vezes mata um animal por diversão, um animal não faria da mesma forma. Ele faria tal coisa se precisasse, se as pessoas o atiçassem ou o maltratassem. Ele não iria se deixar maltratar sem fazer nada. Ele sabe se defender.
Pior ainda do que esses maus-tratos todos com os animais, é vê-los abandonados. Quem aí já não se deparou com cães e gatos vagando sozinhos pela rua?
O caso é sério, gente. Tem pessoas que adotam/compram animais, achando que vão dar conta de todo o carinho que eles merecem, mas depois querem se desfazer deles... Isso não existe para eles, eles não entendem o que é separação. Ao contrário do ser humano e das falsas amizades, eles são fiéis aos seus donos, considerando-os amigos para a vida toda. Eles os amam como são, sem pedir nada em troca, apenas amor. Só que o ser humano não entende isso.
Quem já não viu aquelas histórias com cães, baseadas em fatos reais, sobre essa linda amizade? Por exemplo, a história daquele cachorro que vinha esperar seu dono no mesmo local de sempre na rua, e que, mesmo após ele morrer, continuou indo até lá, na esperança de que ele chegasse? Que ser humano faria isso? Não se trata de simplesmente não ter cabimento continuar esperando por alguém que morreu, mas sim da prova de amizade verdadeira entre o cão e o seu dono. Ele não entendia que ele havia morrido, muito menos que ele não iria mais voltar, mas ele insistia em provar o amor que um tinha pelo o outro. E foi isso.
Assim como várias outras histórias da mesma base, os cachorros são mais verdadeiros com o ser humano, assim como vários outros animais. As pessoas só não reconhecem isso, acham que eles não têm capacidade de saber o significado de família, amizade e amor, mas eles sabem. Eles não só sabem, eles seguem tais relações.
Já se diz o ditado de que o melhor amigo do homem é um cachorro. Bem, eles tem se provado cada vez mais sinceros e amorosos; as pessoas apenas ignoram, achando que é algo temporário, mas eles não são como os seres humanos. Eles tem sentimentos de verdade, e às vezes eles próprios é que costumam nos entender realmente. Se ele não pode conversar conosco, dar conselhos nem nada parecido, eles oferecem colo para nós e permanecem ao nosso lado, sem medir esforços.
Paremos de ignorá-los e passemos a dar valor à eles, e pedir que Deus continue abençoando-os também, porque, afinal, eles também são como a gente. Eles apenas são diferentes por fora, mas têm a mesma capacidade de nos amar, por dentro. A única diferença é que eles não irão te julgar pela sua aparência. Se seu caráter for bom e você der valor à eles, eles não farão nada menos do que o papel de um amigo verdadeiro. Não importa o tempo, as circunstâncias, os problemas... Eles são verdadeiros até o fim. Basta apenas nós darmos o primeiro passo e aceitar essa amizade, da mesma forma que eles fazem. 


Desculpem se ficou grande demais... Naturalmente, eu não sei ser concisa. Acabei me empolgando, sorry :/

E então, gostaram? ^-^

Beijos e fiquem com Deus.

2 comentários:

  1. Gostei bastante. Eu tenho muitas coisas contra maus tratos com animais, sejam eles os maus tratos que forem.
    E o pior é que quando eu estou comendo alguma coisa minhas duas cachorras vem e me olham de um jeito... Quando estou triste, parece que sentem... Como alguém pode maltratá-los ou abandoná-los?
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né isso! Eu tenho uma cachorrinha e ela costuma fazer aquelas carinhas tão fofas que é como se ela realmente sentisse e pensasse tão abertamente. Sinceramente, não sei como essas pessoas são capaz de fazer isso com os animais... São todos uma fofura só! ^-^
      Bjos...

      Excluir