04 fevereiro, 2013

[Resenha] A Vida na Porta da Geladeira, de Alice Kuipers

Oi gente!
Andei meio sumida? Bem, a minha "contagem" para as aulas estão em apenas duas semanas, portanto o meu tempo logo irá ficar em boa parte para a escola. Já estou procurando adiantar as webséries, textos, poesias, resenhas e afins durante essas duas semanas restantes (quem me dera poder incluir livros nela também... mas estou sem nenhum para ler no momento :P).
Enfim, isso não importa agora. Que tal conferirmos uma nova resenha fresquinha saindo do forno? ^-^

A Vida na Porta da Geladeira, por Alice Kuipers

Título: A Vida na Porta da Geladeira
Autor(a): Alice Kuipers
Editora: Martins Fontes
Número de Páginas: 226
Ano de Publicação: 2009
Avaliação: ♥ ♥ ♥ ♥ 

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 

Claire, de 15 anos, e sua mãe têm uma rotina muito atribulada. Nos raros momentos em que sua mãe está em casa (ela é obstetra), a filha está na escola, com amigos ou com o namorado. Resultado: as duas quase não se veem e se comunicam deixando recados na porta da geladeira. Esses recados vão desde cobranças banais até revelações tocantes e contundentes por parte de mãe e filha durante o penoso tratamento de câncer de mama da mãe, num ano que se revelará decisivo para as duas. Em seu romance de estreia, Kuipers capta a ansiedade por trás da tragédia e revela a importância de viver a vida intensamente, lembrando ao leitor a necessidade de encontrarmos tempo para as pessoas que amamos mesmo em momentos de dificuldade e desafios. 

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 

Minha Opinião:

Viver a vida intensamente, a mensagem principal do livro.

Pois bem. Esse é o primeiro livro lançado de Alice Kuipers, e posso dizer que a autora estreou com louvor. Dentro de uma reflexão sobre questões de "tempo", Alice conduz a história de mãe e filha que vivem se comunicando através de simples recados colados na porta da geladeira, já que ambas vivem se desencontrando ao longo do dia e semana. Se uma está em casa, a outra não está. E vice-versa. 

O livro me impressionou bastante. Comecei a lê-lo por bobeira, cuja leitura fluía rapidamente pela escrita do livro, que é todo contado em forma de bilhetes, de mãe para filha, de filha para mãe, mas logo acabei me vendo completamente envolvida na história. Na verdade, li o livro em pleno ano-novo, sabe? Dia 31 de Dezembro de 2012 lá estava eu lendo-o, e por meio de simples recados entre mãe e filha, comecei e terminei-o no mesmo dia. Basicamente, minha última leitura do ano de 2012. ^-^

Claire é uma garota normal de 15 anos, que praticamente cuida sozinha da casa, faz compras, lava a louça e faz a faxina geral, já que a mãe, por sua vez, é uma obstetra e vive entocada no hospital. Elas praticamente não se veem, e quando isso acontece é uma raridade, e até mesmo muito rápido. Num segundo elas estão se vendo; dois segundos depois já estão em seus respectivos compromissos. E assim vai.

Qualquer a pegar o livro, acho eu, deve pensar que, por causa, o relacionamento de ambas é conturbado e que Claire pode ser rebelde e não gostar da mãe. Bem, eu achei isso, e, sim, a relação é conturbada, principalmente após a constatação do câncer de mama na mãe, mas em momento algum a Claire se passa por rebelde nem nada do tipo. E foi isso que eu gostei na história. Por mais que a "distância" entre as duas esteja frequente e contínua, o amor de mãe e filha não é rompido em nenhum momento, na verdade, ele só cresce cada vez mais, e a história toma um rumo bem distinto após o câncer. Mas o amor das duas prevalece, e, mesmo que por meio de recados na geladeira, elas ainda se comunicam "normalmente". E o "eu te amo" está bem presente na trama.

Por fim, A Vida na Porta da Geladeira me surpreendeu bastante. Mãe e filha passam por um ano complicado e conturbado, mas, sem deixar o amor de lado, elas enfrentam tudo quase que como guerreiras, e, quando necessário, sempre estão juntas. Entre rotinas, tarefas, discussões, perdões e conselhos de mãe, Alice Kuipers conduz a história de forma envolvente, e o final do livro, apesar de um pouco triste, ainda é bonito, sem tirar o brilho que a obra já tem. 

E então, gostaram da resenha? Já leram ou vão ler? ^-^

Beijos e fiquem com Deus.

4 comentários:

  1. Ual, deve ser um livro perfeito! Tinha ouvido falar dele uma vez, e minha primeira impressão foi que, com todo o afastamento entre mãe e filha, a Claire fosse mesmo uma garota rebelde e com vários problemas. Agora que eu vi que não, fiquei ainda mais curiosa para ler o livro!

    Beijos ♥ Jeito Único

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, eu também pensei isso da Claire, mas me enganei. A história foi ótima, vale a pena conferir! ^-^

      Excluir
  2. Ainda não cheguei a ler o livro, mas pelo visto é uma estória bem banaca e comovente, gostei de conhece-lo, vou procurar lê-lo um dia desses =D

    Bjs

    daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode não ser comovente para chorar, mas é uma ótima reflexão que a história passa. Que bom que gostou de conhecê-lo, Sammy ^-^
      Bjos...

      Excluir