15 março, 2013

[WebSérie] Estrela da Noite - Capítulo 03

Este capítulo é parte integrante da WebSérie original "Legally Friends", escrita por Sâmella Raissa. Para ter acesso aos capítulos anteriores, clique aqui


Ajudante Teatral?

– Bom, como vocês já devem saber, eu estou organizando a nova peça teatral da escola e só agora me dei conta de que preciso de uma assistente, para me auxiliar nos ensaios e afins. – Stella começou o discurso.
Eu realmente não queria saber onde aquilo iria dar. Do jeito que ela era ativa e meio excêntrica, o trabalho seria árduo para quem quer que virasse sua tal assistente... Já sinto pena da coitada que ganharia esse título...
– Eu estive verificando entre os alunos e, bem... – Ela fez uma pausa, enquanto vistoriava todos os alunos por cima dos óculos. – Eu já escolhi quem eu quero que seja minha assistente. Ela é uma garota dessa sala, muito comportada, notas altas e tem uma frequência escolar impressionante.
“Christyn ou Jessie?” pensei em quem poderia ser a “sortuda”.
– Com muita honra, – “Honra”? Sério, professora? – anuncio que a minha nova (primeira) assistente será a...
Dei uma olhada de relance para Christyn e a Jessie, com um olhar solidário para ambas, que me olharam se entender nada.
No momento em que me virei para a frente, encontrei os alunos me olhando surpresos, totalmente vidrados em mim. Eu estava tão atônita que havia perdido o nome da tal “sortuda”, e foi quando eu olhei para o Leandro na cadeira ao lado, com uma expressão solidária de como se dissesse “Boa sorte”, que eu entendi tudo.
[...]
Não era o meu dia de sorte, definitivamente, não era.
Lá estava eu, sentada em um dos bancos do pátio, juntamente com Leandro, Susana e Felipe, que, ao contrário do que de costume, estavam, igualmente, ultrapassando o meu limite de paciência. Eu estava tão irritada, que qualquer um que falasse a palavra “teatro” na minha frente, correria o risco de ir parar em Vênus, senão em Plutão.
– Qual é, Clara, não é tão ruim assim. – Susana falava, sentada ao meu lado, com um sorriso solidário e constrangido no rosto.
– É, poderia ser pior. – Felipe se intrometeu, levando um cutucão de Leandro no mesmo instante. – Digo, isso não se compara em ter sido o assistente do treinador Gustavo durante quase oito meses seguidos como no ano passado. E sem descanso, praticamente.
Eu estava, em parte, feliz com a ajuda que os meus amigos estavam me dando, mas eu realmente preferia que eles ficassem calados e me escondessem da Stella pelo resto do ano.
Leandro era o único que não falava nada, e, ao ver o meu stress aumentando, apenas se sentou do meu outro lado e ficou passando a mão no meu cabelo, totalmente calado. Enquanto dois estavam me irritando com um diálogo incessante, onde o assunto era justamente eu, o outro permanecia exclusivamente calado, e, incrivelmente, era o que me irritava ainda mais.  
[...]
– Clara, preciso que você faça uma listinha com o elenco da peça e seus respectivos personagens. – A Stella falava continuamente, enquanto olhava mil detalhes por minuto no grande estúdio de ensaio.
Ela continuou a explicar mil coisas de uma só vez, mas eu me perdi no meio do caminho. E enquanto ela continuava o “discurso”, eu só fiquei observando o estúdio. O colégio o havia comprado para usar nas apresentações escolares, mas as arquibancadas eram tão poucas que as apresentações continuaram a ser no ginásio. Entretanto, o dinheiro gasto não foi à toa. A Stella se interessou rapidamente pela área e logo fundou o Clube de Teatro, que já tinha três anos de existência.
Repentinamente, a Stella parou de andar e eu logo me esbarrei nela, completamente atônita.
– Clara, desculpe pelo inconveniente, mas, como a minha arrumação toda nos ensaios ficou meio de lado, não estou precisando de tanto apoio como pensei, então pensei que você poderia ser a assistente da minha protagonista.
Eu já balbuciar um “obrigada” por educação, mas eu congelei no minuto seguinte.
– Querida, quero te apresentar a minha linda atriz protagonista! – A professora se empolgou na apresentação, mas eu não fiquei nada feliz.
Estava ali na minha frente alguém que fazia de tudo para criticar os outros e dá mais trabalho ainda. Alguém que se achava a superior acima de todos os demais.


6 comentários:

  1. Gostei...
    Esperando por mais. Leandro é tão fofo. Felipe é muito engraçado sou fã dele <3
    Sim,eu sempre fico "a fim" do garoto que só é amigo da principal.
    Beijos!

    Cherry Girls

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Leandro é fofo mesmo, né, mas o Felipe também não fica de fora :D E fico feliz que você tenha ficado "a fim" dele, hehehe ^-^
      Bjos...

      Excluir
  2. Ansiosa para o próximo capítulo! Estou doida para saber o que vai acontecer com a Clara e com essa menina-protagonista, bjs ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :D Que bom que gostou, Taís! (de novo), e espera para ver o que vai rolar na peça - e tenta poupar paciência para quando você conhecer a protagonista... :)
      Bjos...

      Excluir
  3. Gante, que dó da Clara! Quer dizer, a princípio eu até pensei "Poxa, ajudar a Stella nos ensaios pode até ser uma oportunidade para mostrar alguma aptidão aos palcos (mesmo que indiretamente) e tal", mas com a notícia do final... Juro que eu mesma não saberia o que fazer se fosse resignada a me tornar assistente de alguém que (apesar de eu ainda não saber quem é) parece ser tão cheio de si!

    Beijos ♥ Jeito Único

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Lari, a Clara se meteu em uma bela, digamos assim, confusão teatral, hehehe. Mas é o jeito. E quanto a tal protagonista da peça, bem... É esperar a próxima semana para saber quem ela é. E ela é bem mais cheia de si do que pode parecer >.<
      Bjos...

      Excluir