15 abril, 2013

Palavras Sem Rumo #3 | Saudade


Eu lutava há tempos contra aquela saudade. Uma saudade que batia inesperadamente em meu coração e suplicava por ser mandada embora. Como isso aconteceria? Eis a questão, eu não sabia. E a cada vez que ela apertava, eu só chorava.
Até que certo dia deixou de ser assim. Corri para a penteadeira, mais precisamente, aquela última gaveta abarrotada de objetos dos quais eu nem fazia mais questão de lembrar. 
Cartas, envelopes, fotos, bilhetes; objetos raros e antigos, de um tempo perdido no passado, perdido nas lembranças, mas não no coração. E então uma foto chama a minha atenção. Datada de 1998, num belo e florido parque, cheio de rosas no canteiro próximo ao banco. E então eu me vejo.  Cabelos ruivos e cacheados, sorridente e bem portada. E então o meu olhar se depara com a pessoa ao lado. Cabelos negros e lisos, pele clara e um tanto pálida, com um sorriso descontraído nos lábios. 
O motivo da minha saudade.
Então era isso. Ou melhor, era você...

4 comentários:

  1. Oi, Sâm!
    Todas as vezes que decido passar por este blog, fico encantado com os seus textos. Você escreve com maestria e nobreza, suas palavras são bem colocadas e a sua paixão pela escrita está presente nos seus textos, sucesso.
    Saudade é uma palavra muito forte, não é mesmo? Fiquei encantado com o que li, sem mais.

    Um beijo, http://umleitoramais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, muito obrigada pelas suas palavras, Leo, e as suas resenhas também não ficam de fora! ^-^ Obrigada pela visita, e apareça mais vezes! :)
      Bjos...

      Excluir
  2. Oi, Sâm <3
    Seus textos, apesar de curtos, são lindos!
    Saudade é uma palavra doída, e estou sentindo-a nesse momento, mas espero que ela suma da minha vida por agora rs
    Obrigado pelas palavras de inspiração <3
    Beijos
    descobrindolivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo carinho, Lucas! ^-^ Fico feliz em ter-lhe ajudado.
      Bjos...

      Excluir