07 maio, 2013

Lembranças da Primavera | Parte 1



Sentada na varanda, ao pé da janela, eu observava os pequenos flocos de neve caírem por dentre as árvores do quintal, cobrindo os galhos com a típica formação esbranquiçada de sempre. Como em todas as tardes daquele mesmo inverno de Dezembro, eu passava horas e horas, debaixo dos cobertores, pensando sobre tudo o que havia acontecido naqueles últimos meses. Meu coração ainda se recuperava, mas era tudo muito dolorido. E injusto.
O inverno sempre era frio. Mas aquele parecia estar ainda mais por causa disso.
E então as lembranças vieram à minha mente...

No quintal da minha casa, eu e você, deitados na grama, observando o céu acima de nós, conversávamos sobre aleatoriedades visivelmente bobas para os demais, mas que eram preciosidades para nós. Sempre era, pois estávamos juntos, e era isso o que importava.
Você me fazia rir com suas histórias de infância, enquanto que eu apenas tentava me manter o mais relaxada possível quanto à presença do seu fiel escudeiro canino, Hope, bem ao nosso lado, entretido com as próprias patas.
Dentre todas as vezes que estivemos lá, vez ou outra eu desviava o olhar para o labrador. Você ria da minha velha expressão duvidosa e medrosa de sempre. Era fato que eu nunca iria conseguir perder o meu medo de cães, mas você insistia o contrário. Se tratando de você, eu não conseguia argumentar. Você sempre me vencia as desculpas.
Mas aquele foi diferente. Já não estávamos tão risonhos quanto antes. Na verdade, você parecia mais calado do que o normal. Eu também estava assim. E nós dois sabíamos o motivo.
“Péssima hora em que os resultados dos exames chegaram”, pensei, internamente revoltada, me sentindo uma injustiçada pela própria vida. Aquilo não podia ter sido verdade.
Mas havia sido. E os efeitos daquela bomba atômica já eram visíveis. E dolorosos...
Eu me corroia por dentro, imersa em um grande mar de angústia, dor e nervosismo, totalmente abalada. Você continuava calmo ao meu lado, sem expressar nem a menor das emoções ou reações; apenas observava o céu acima de nós, calado, mais parecendo estar conformado. Eu não entendia como você podia ficar assim numa hora dessas. Mas acho que era o mais certo – e o melhor – a ser feito, só que eu não conseguia fazê-lo. Era duro demais para mim.
Passam-se alguns minutos. Mil pensamentos rondavam a minha mente, tentando, sem sucesso, me acalmar, me conformar, mas nada parece adiantar. É aí que você então me acorda para a realidade, e, virando-se para mim, diz:
– Vai ficar tudo bem, Danielle. – Você esboça um sorriso ligeiramente abatido, como se não acreditasse no que dizia, mas ainda permanecia firme em suas palavras. – Você sabe o quanto eu te amo, e isso para mim já é o suficiente.
– Por isso mesmo quero ter você sempre ao meu lado. – Permaneço deitada, sem lhe olhar nos olhos; lágrimas discretas rolam pelo meu rosto. Eu já não sabia mais o que fazer ou dizer. Simplesmente queria que tudo isso fosse um engano. – E tudo o que planejamos juntos? Nossos sonhos, objetivos, planos...? Vão ser descartados no tempo como se não fossem nada?
– Dani, você sabe que esses planos iriam, sim, se concretizar. Mas a situação mudou. A realidade é outra. – Ele desvia o olhar, encarando o horizonte. – Se nada disso vai acontecer mais, é porque não quero te fazer sofrer mais do que já está. – Ele faz uma pausa por alguns segundos, e então volta a olhar para mim. – Mais do que nunca, eu só quero aproveitar para ficar do seu lado, sempre que possível. É isso o que importa agora.
Uma nova lágrima rolou pelo meu rosto, e então me virei para ele.
– Sabe que eu sempre te admirei por esse seu modo de pensar, não é? – Falei pausadamente, sorrindo tristemente, mas com o mesmo orgulho de sempre pelo meu namorado tão apaixonado e esperançoso. – Eu te amo.
– Eu te amo também. – Ele retribuiu, se aproximando um pouco mais de mim. – Muito mais do que você pode imaginar. – E me beija.
Esse simples diálogo ficaria marcado para sempre em minha vida.


Continua...

6 comentários:

  1. Sam, eu amei muito esse texto *o*
    Você escreve perfeitamente bem e com coração, adoro seus textos. Já pensou em escrever um livro? Acho que vc leva jeito, sério!!!
    Beijos
    Descobrindolivros.blogspot.com.br
    Ps: onde acha essas imagens lindas que coloca sempre nos posts?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, muito obrigada, Lucas! ^-^ E, sim, eu penso em escrever um mesmo, mas, por enquanto, estou organizando as ideias ainda com o meu livro atual. Mas, no futuro, se Deus quiser, isso se concretizará :)
      Beijos...

      Excluir
  2. Que lindo Sâmmy ♥ Não vejo a hora de ler a parte 2 ^~^

    ResponderExcluir
  3. Não me digas que ele vai morrer ou algo do genero?

    ResponderExcluir
  4. Você reclamou que eu não comentava seu blog. Como essa foi a primeira web série que eu peguei do início, estou lendo ela e vou ler a outra toda e comentar no fim, ok?
    Esta parte 1 ficou fantástica e eu espero fazermos uma parceria entre as novelas do meu blog e as suas, que tal?

    ResponderExcluir