16 agosto, 2013

[WebSérie #2] A Fórmula do Amor - Capítulo 04

Este capítulo é parte integrante da WebSérie original "Legally Friends", escrita por Sâmella Raissa. Para ter acesso aos capítulos anteriores, clique aqui. Favor não copiar o texto sem antes ter a permissão da autora.

Mãos à Obra!

No momento em que me dei conta de que não trabalharia na farmácia sozinha – como se o Marcos confiasse em mim à esse ponto! – senti uma breve felicidade passar por mim...
– Andrea, qual o motivo para o seu atraso hoje? – Marcos perguntou-lhe, adeus tom zombeteiro, olá tom de voz autoritário de patrão. – Vejo, também, que isso tem se tornado um pouco frequente da sua parte.
– Ah, foi mal, chefe, mas não estou com paciência para discutir sobre isso. – Ela bradou irritada. – Flagrei o Arnaldinho beijando a chata da Macy ontem à noite pela quinta vez, e estou totalmente esgotada pela quantidade de coisas que disse à ele; não sei nem como vim trabalhar hoje. – A voz era aguda e ignorante.
... mas, agora, um misto de ânsia de vômito e repugnância tomou conta do meu estômago. Aquela garota não parecia ser uma colega de trabalho muito agradável...
Marcos, do outro lado da sala, parecia concordar comigo, embora não tivesse conhecimento de meus pensamentos. Ele apenas sacudiu a cabeça, em um puro gesto de desaprovação, e falou:

– Já é a quinta vez que isso acontece e você ainda se permitiu ter namorado esse cara mesmo depois das quatro vezes anteriores? – Ela se manteve calada, não parecia mesmo disposta a conversar sobre um assunto que eu imaginava que já tivessem discutido antes. Tão rapidamente, porém, Marcos gesticulou para que ela fosse se aprontar atrás do caixa e virou-se para mim: – Acho melhor você ir trocar de roupa logo, Susana. Depois que a Andrea entrar no banheiro, ela só sai de lá depois que estiver pronta para a Semana da Moda de Milão. – E desapareceu atrás das estantes lotadas de medicamentos.
Rapidamente adentrei ao banheiro, tão limpo quanto aquele banheiro que ficava na minha suíte e que eu não limpava havia dias... Troquei a roupa, por mais que a contragosto com o uniforme em si, mas ao menos o logo era bonitinho; a esposa do Marcos havia feito, segundo o que mamãe dissera essa manhã. Então abri a porta, logo dando de cara com a Andrea que encarava – a mim ou, anteriormente, a porta – com seu olhar ignorante, desinteressado e irritado. Observou-me de cima a baixo, revirando os olhos em seguida. O que foi?
Mas antes que eu pudesse questionar alguma coisa, ela passou rapidamente por mim, se trancando no banheiro logo em seguida.
Fui em direção ao caixa, já observando que o Marcos estava abrindo o estabelecimento. Pus-me atrás do balcão, aguardando a loira chegar, o que aconteceu mais rápido do que eu pudera imaginar, e tão logo estávamos lado a lado, ainda que ela estivesse com seu semblante vazio e irritado, e então o turno começou.
[...]
As próximas horas de trabalho se passaram de forma lenta e incômoda. Se por um lado, não estávamos tendo tanto trabalho naquele dia, já que o feriado do fim de semana havia garantido uma ótima – e longa – viagem aos clientes mais assíduos, por outro, eu estava completamente entediada sentada na cadeira, comandando a caixa registradora, para não acrescentar, também, a presença desconfortável da Andrea, que estava totalmente azeda. Depois de um tempo, já não aguentando mais aquele silêncio horroroso, falei:
– O movimento por aqui é sempre assim?
Ela me olhou de canto de olho, parecendo indisposta a falar uma única palavra, mas respondeu:
– Normalmente recebemos cinco clientes por hora. – E então revirou os olhos. – Mas é claro que eles estão aproveitando bastante o feriado.
Apenas assenti, virando-me novamente para a frente da farmácia. A partir daí, seguiu-se o mesmo silêncio de antes, e este pairou até o fim do turno, para meu desconforto.

5 comentários:

  1. É muito bom conhecer um pouco dos capítulos do livro pelo seu blog, curti bastante.

    Estou seguindo seu blog para acompanhar as atualizações e sempre que puder fazer uma visita.
    Abraços

    http://reaprendendoaartedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Coitada da Susana, que além de trabalhar, tem que conviver com a Andrea... E por falar em Andrea, quem em sã consciência namora alguém que já te traiu quatro vezes? @--@ Em fim, espero que o temperamento (e o juízo) da Andrea melhore nos próximos capítulos...
    Beijos ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez a Susane consiga incutir juízo na cabeça dela, afinal... Não sem antes, claro, algumas controvérsias... =X Mas eu falei demais já haha
      Beijos...

      Excluir
  3. Olá!!!, Deus te abençoe, amiga tenha uma semana vitoriosa, resenha muito boa, e o seu blog é lindo continue assim, S-U-C-E-S-S-O
    Já estou te seguindo, aguardo a retribuição.
    Canal de youtube: http://www.youtube.com/NekitaReis
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. É, a Andrea é bem azeda mesmo! Mas talvez seja só uma fase, haha. E outra: ser traída pela quinta vez deve ser, hmm... desconfortável (e eu nem sei como ela pôde chegar na quinta, afinal eu sou bem intolerante à traições e já teria dado um basta logo na primeira), a ponto dela ficar com um humor assim. Mas acho que a Susane vai lidar com a coisa toda de um jeito só dela!

    Beijos ♥ Jeito Único

    ResponderExcluir