16 setembro, 2013

[WebSérie #2] A Fórmula do Amor - Capítulo 06

Este capítulo é parte integrante da WebSérie original "Legally Friends", escrita por Sâmella Raissa. Para ter acesso aos capítulos anteriores, clique aqui. Favor não copiar o texto sem antes ter a permissão da autora.

Repentes

Aos poucos, cada dia mais, consegui me “adaptar” ao ambiente de trabalho, embora não estivesse nada acostumada com a ideia propriamente dita de “trabalhar”. A cada dia, após uma longa – ok, sem drama, nem tão longa - jornada de trabalho, chegava em casa e era logo recebida por papai, que, sentado em sua típica poltrona cinza chumbo na sala, acompanhado por um jornal da semana retrasada,  me lançava um sorriso de satisfação e orgulho logo ao primeiro contato. Nessas horas, eu sentia meu esforço valer a pena, afinal, conhecendo papai como eu bem conhecia, sabia que abraços ele esbanjava todas as horas, mas sorrisos sinceros eram reações alcançadas com feitos que o deixavam particularmente orgulhoso e alegre, o que, bem, deveria ser o caso.
E então os dias se tornaram semanas... Semanas cujos acontecimentos decorridos me deixavam cada vez mais surpresa sobre o quanto a minha vida não era mais a mesma...

[...]
Era segunda-feira, e eu e a minha turma estávamos reunidos no laboratório de informática. Professora Meredith havia insistido num trabalho sobre a moda dos anos 70, 80 e 90, o que particularmente me deixava arrasada por lembrar da minha saída do Clube da Moda do Século XX, já que, somado à isso, teve aqueles esbarrões com a Josielle nos corredores do colégio e todo o drama que ela fez alegando estar sentindo falta dos momentos em que eu tomava a palavra e, segundo ela, “chacoalhava aquelas mentes que desconheciam a moda verdadeira”, seja lá o que ela quisesse dizer com isso. Mas não me permiti perder tempo daquela aula, afinal, seria muito mais vantajoso terminar o trabalho agora do que deixar para casa e acumular, ao contrário da maioria dos alunos que preferia conversar bobagens e checar o facebook a cada dez segundos.
E eu estava seguindo esse pensamento...
Ao menos até agora. Qual é, não sou de ferro. “Só uma checadinha básica, só vou poder acessar quando chegar do trabalho mesmo”. E então digitei o link do site e rapidamente me vi diante de minha página inicial com, oh, 16 notificações!
Rolei a página das ditas cujas e então vejo uma outra piscando de repente... Convite de amizade. Quem foi alma que me mandou solicitação de amizade dessa vez? Já não bastava aquela loura cheia de aplique e gel no cabelo me enviando um na semana passada, inutilmente – e toda sem noção – enviando-me uma mensagem logo em seguida, dizendo que “ela havia simpatizado com a minha cara, mas que ainda era muito mais bonita e glamorosa do que eu”.
Finalmente cliquei, sem o menor interesse, e logo vi uma nova janelinha se abrir, mostrando a pessoa em questão.
Andrea Miranda de Andrade e Cavalcante.
A professora, porém, decidiu adentar à sala naquele minuto, esperando encontrar os alunos focados no trabalho. Rapidamente dei um jeito e saí da página, não sem antes usar o mouse mais uma vez.
Solicitação de amizade aceita.
E voltei ao trabalho.
[...]
– Hey, Marcos! – Falei logo que pisei na farmácia, em um quase bom humor. Havia terminado o trabalho ainda na sala de aula e conseguira nota máxima na prova oral de História, YAY!
– Ah, boa tarde, Susi. – Marcos sorriu, passando por onde eu estava, carregando algumas caixas. – Está mais disposta para trabalhar hoje?
– Talvez, sim. – Respondi, sem muita convicção. Acrescentei: – Talvez, não.
Ele revirou os olhos, como sempre fazia quando lhe dizia algo parecido, bagunçou meu cabelo e voltou-se às caixas.
Peguei meu uniforme estendido sob o balcão, e logo fui para o banheiro, onde consegui me trocar em tempo recorde desde que começara a trabalhar, e tão logo saí e já ia perguntar sobre a Andrea, que até então não chegara. Foi quando notei, surpreendente e repentinamente, alguém entrar chorando no estabelecimento.
O que o Arnaldo aprontou dessa vez?


Obs: Desculpem por estar demorando tanto a atualizar o blog. Ultimamente tenho tido muitos trabalhos de colégio para realizar. Logo mais voltamos ao normal. ;) Desde já, obrigada pela compreensão.

2 comentários:

  1. Os capítulos estão ficando cada vez melhores! Sério, percebo que alguém escreve bem assim quando vou devorando um parágrafo após o outro sem ficar dando pausas. Algo me diz que, por mais que nossa querida protagonista negue, ela está sim, começando a gostar de trabalhar na farmácia! Ainda mais com a satisfação discreta e, ao mesmo tempo, evidente do pai.

    p.s: o que aconteceu com Andrea, heim? Eu curiosa...

    Beijos ♥ Jeito Único

    ResponderExcluir
  2. Me atrasei um pouco para ler e comentar, mas aqui estou! ^^
    Fico feliz em saber que a Susana está se acostumando a trabalhar e que (julgo pela solicitação de amizade) ela e Andrea estão se dando melhor agora! Fiquei curiosa pra saber o que o Arnaldo fez... Vou correndo ler a continuação!
    Obs.: Amando cada vez mais a WebSérie. ♥
    Beijos! ^^

    ResponderExcluir