05 dezembro, 2014

[#PHpoemaday] O tempo passa, os sentimentos mudam e a gente amadurece

Image edited, but originally found here.
| #PHpoemaday | Dia 4 | O Verão |
Proibida a cópia ou reprodução total ou parcial do texto. 

Obs: espécie de continuação do conto do dia 3, "Quando é preciso seguir em frente".

A manhã de sábado havia amanhecido ensolarada, como era típico da região praiana. O sol pairava no céu em um calor escaldante, de forma que muitas pessoas haviam montando suas respectivas tendas e guarda-sóis ao longo da areia. Com Chloe, não fora diferente. No entanto, ela permanecia apenas admirando a imensidão do mar à sua frente, alternando a visão entre os casais e crianças que circulavam pela praia naquele momento. Estava sozinha, usando shorts e uma blusa regata, sentada, envolvendo os braços nas pernas, sobre a canga estendida na areia, e o guarda-sol pairando ao seu lado. Já fazia um tempo que estava assim, e enquanto o irmão e os amigos deviam estar jogando vôlei em algum lugar ali perto, ela preferia aproveitar o dia com calma. Aquela semana de descanso, na verdade, estava apenas começando, uma vez que todos haviam se formado com êxito no colégio e tinham aquela viagem como uma comemoração particular.
Continuava distraída, olhando o mar, quando uma bola foi parar perto dela.
— Joga de volta, Chloe! — Jackson gritou, e ela reparou que eles não estavam jogando muito longe.
— Lá vai! — Ela levantou-se e arremessou a bola na direção do rapaz, que pegou-a no ar, um sorriso no rosto, acenando rapidamente e retornando à partida.
Dessa vez, ao sentar-se de novo, pensou no quão diferente sua vida estava. Há um e meio atrás, ela se imaginaria, agora, planejando com Jackson para qual faculdade irem, no objetivo principal de permanecerem juntos, em uma só. Mas desde o término do namoro, há quase um ano, os planos haviam mudado. Apesar dos três primeiros meses terem sido estranhos para eles, aos poucos conseguiram vencer a insegurança e cultivar a amizade na qual, agora, acreditavam. Chloe, inclusive, se surpreendia ao perceber que eles se davam ainda melhor como amigos que como namorados, o que acabou sendo bom, afinal, quando ele anunciou, sete meses depois, estar interessado numa garota. Com os sentimentos anteriores já superados, Chloe deu total apoio, e sabia que o mesmo ele faria, quando ela viesse a relacionar-se com algum garoto no futuro.
Mas ao contrário dele, Chloe continuou como a garota tímida e quieta de sempre, o que dificultava a aproximação de qualquer rapaz que não a conhecesse. As amigas repreendiam-na por ainda ser assim, mas, de certa forma, Chloe era agradecida por isso. Se ela não teve a oportunidade de conhecer outro rapaz nesse meio tempo, ainda melhor era ter a oportunidade de aproximar-se ainda mais de alguém que ela já conhecia e com quem se dava tão bem...
Ela ainda não reparara, mas Jason a observava de longe. Enquanto jogava com os outros rapazes, alternava olhares na direção da garota que até um ano atrás era apenas a irmã do seu melhor amigo, mas que agora dominava todos os seus pensamentos. Não deixava de pensar no quanto ela estava linda vestida tão casual como estava, com os cabelos amarrados em um rabo de cavalo e o olhar despreocupado e leve observando o mar. Aproveitou, então, uma nova troca de jogadores e posições, para dar uma descansada antes do almoço, e resolveu, enfim, aproximar-se da moça. Sorriu ao sentar-se ao seu lado, e ela retribuiu o sorriso, quase tão radiante quanto ele.
— E onde estão suas amigas que a abandonaram aqui, sozinha? — Ele indagou.
— Provavelmente, em casa, terminando a babyliss. — Ela suspirou, sem dar muita importância ao fato de estar sozinha – ao menos antes, porque agora a companhia era muito bem-vinda.
— Me diz, qual é a lógica de ajeitar o cabelo no primeiro dia na praia? Não vai molhar e estragar de todo jeito? — Ele riu, sem entender.
— Mulheres são estranhas assim mesmo. — Ela riu-se.
— Ou inseguras, para acharem que é necessário se produzirem inteiras para agradar aos homens.
— Acontece que muitos homens realmente se importam com as aparências, isso não é novidade nos dias de hoje.
— Mas alguns homens são a exceção, você sabe. — Ele lançou-lhe um olhar um tanto quanto sugestivo, com um sorrisinho de lado, que ela não deixou passar despercebido.
— Ah, então o Romeu é uma dessas exceções? — Ela questionou, mas sabia que estava referindo-se à ele.
— Com toda certeza, minha cara Julieta. — Ele juntou-se à brincadeira, fazendo uma breve reverência que a fez rir. Ele emendou o riso também e completou: — Nunca focaria apenas na parte externa quando o interior é tão importante quanto. — E sem perceberem, os rostos estavam próximos, e mais um pouco e os narizes se tocariam.
Ao dar-se conta disso, porém, Chloe abaixou o olhar levemente, com um sorriso tímido.
— A garota que ficar com você será uma grande sortuda, então. — Ela murmurou baixinho.
— Não tanto quanto eu serei um eterno sortudo por tê-la. — Ele retrucou, a voz rouca e um tom de sinceridade que surpreendeu Chloe.
— Então quer dizer que o Romeu já tem uma Julieta em sua vida? — Ela perguntou baixinho, sentindo-se estranha por decepcionar-se com aquela possibilidade.
— Bom, aí depende... — Ele riu suavemente, aproximando seu rosto do dela, ao que ela imediatamente recuou, sem importar-se no quão abruptamente seus rostos se distanciaram. Sem desistir, sabendo que não teria coragem de fazê-lo em outro momento, ele voltou a aproximá-los, dessa vez erguendo o queixo dela até que seus rostos estivessem ao mesmo nível novamente. — Chloe...
— Sim? — O olhar dela estava voltado para o mar, como que disfarçando o nervosismo e a apreensão. Se antes tinha certeza de que ambos estavam relacionados com os sentimentos estranhos que vinha sentindo, quando Jason falou a seguir, ela não teve mais dúvidas.
— Você quer ser essa garota?
O olhar dela rapidamente encontrou-se com o dele, que a admirava com um brilho no olhar, e ela sabia que, de alguma forma, a pergunta fora séria e sincera. Continuou atordoada por algum tempo, com o rapaz apenas observando-a com um sorriso de canto, e ela finalmente parou para compreender as emoções que os cercavam. Não que ela não esperasse que algo pudesse surgir, uma vez que eles haviam ficado muito próximos ao longo de todos aqueles meses, mas sentir que aquilo era real, que a recíproca era verdadeira, era simplesmente inacreditável.
Continuaram a trocar olhares, dessa vez assumindo, ambos, sorrisos tímidos, que logo mais migraram, juntos, para um beijo intenso quando ele aproximou seus rostos delicadamente. Uma série de breves beijos se seguiu, e entre um beijo e outro, ela sorria, sentindo-o acariciar seu rosto e seus cabelos. Precisaram parar, ainda processando toda aquela informação, quando alguém os chamou ao longe:
— Chloe, Jason, estamos indo almoçar. Vem com a gente? — Era Jackson, mas Chloe não hesitou e nem teve receio do ex-namorado, pois sabia que as coisas agora eram diferentes. Complementando sua constatação, ela o viu sorrir de leve ao dar-se conta do beijo de segundos atrás.
— Já estamos indo! — Ela retrucou, sorridente, voltando-se para Jason. Beijaram-se mais uma vez, antes de levantarem-se da areia e recolherem a canga e o guarda-sol. De mãos dadas, saíram em direção à entrada da praia, seguindo os amigos ao longe. Sorrisos tão radiantes quanto o dia e o nascer de uma nova história de verão, que diferentemente das outras, duraria por todas as estações.

P.S.: Sim, eu sei que tecnicamente hoje já é dia 6, e sinto muito por ter atrasado a publicação desse tema e o do dia 5, mas é que eu demorei a conseguir desenvolver a temática do verão, porque eu queria muito uma continuação para o conto anterior, e depois de muitas tentativas, apenas essa conseguiu me satisfazer, então... Mas, se Deus quiser, não voltaremos a ter essas interrupções novamente, rs.

Beijos,
Sâmella Raissa

Nenhum comentário:

Postar um comentário